Professores do Piauí recebem o dobro dos docentes de São Paulo

Os professores do Piauí recebem atualmente o dobro do salário dos professores da rede de ensino de São Paulo e isso vem se refletindo no rendimento dos alunos. Em 2015, a rede estadual do Piauí atingiu a média de 3.2 estipulada como meta no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB) pelo Ministério da Educação para aquele ano para o Ensino Médio. O estado de São Paulo, que tinha meta de 4.2, obteve 3.9.

Secretária de educação do Piauí Rejane Dias (Foto: Divulgação)

De acordo com a avaliação da presidenta do Sindicato dos Professores do Ensino Oficial no Estado de São Paulo (Apeoesp) Maria Izabel de Azevedo Noronha, conhecida como Bebel, São Paulo teria condições de ser modelo de educação para o país. No entanto, começa a ser ofuscado pelo Piauí, onde no passado a educação era decadente. “Agora o Piauí está dando um coro em nós. O Piauí, que era aquele que pagava menos de um salário mínimo aos professores e que agora está pagando duas vezes mais que em São Paulo, tem o rendimento dos alunos melhor que os de São Paulo”, declarou, fazendo menção aos resultados do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) 2015, divulgados em setembro passado.

Isso acontece porque em São Paulo, o governador Geraldo Alckmin (PSDB), não corrige os salários dos professores mesmo depois de três meses em greve e chega a descontar os dias parados, só ressarcindo os descontos por determinação do Supremo Tribunal Federal (STF). A secretária Estadual de Educação, Rejane Dias, comentou sobre o investimento que tem sido feito nos professores e os resultados obtidos. “São Paulo é o estado mais rico da federação e esses resultados que o Piauí alcançou só mostra que a gente tem trabalhado para poder fazer tudo de forma certa, garantir coisas básicas da educação e que dão resultado, que é garantir uma escola melhor estruturada e professores bem remunerados”, declarou.

Além da remuneração, Rejane Dias afirma que a Seduc faz outros investimentos para incentivar o corpo docente da rede estadual de ensino. “Fazemos cursos de formação, liberamos eles para fazerem mestrado e doutorado e tudo que a gente puder fazer para qualificar melhor e dar melhores condições de trabalho, tudo isso acaba dando um melhor resultado na educação”, finalizou

Fonte: Portal GP1

Curta a página do Portal Diário do Norte no Facebook: Portal Diário do Norte

Deixe uma resposta